Nascimento da Revista Mundo Rural

Em janeiro de 1963 é lançada uma publicação, denominada «Mundo Rural». Com este título, era justificado, no seu primeiro número, que aqueles que vivem no meio rural são uma parte importante do nosso país, sendo «quase metade da população ativa que trabalha no campo», e que «mais de metade da população portuguesa vive em ambiente rural». Também é manifesto, neste editorial de apresentação, que são pouco valorizadas as pessoas deste meio. A revista «Mundo Rural», bem como os seus antecedentes, revelam a preocupação do Movimento com o meio rural. Esta publicação é também um reforço da encíclica «Mater et Magistra».

O «Mundo Rural» é uma revista que surge da junção da revista da LACF – “Boa Semente” – e da revista da LAC – “Vida Agrária”. Houve necessidade de unir as revistas, congregando os seus diversos conteúdos. A revista da LAC, “Vida Agrária”, dedicada aos homens que trabalhavam no campo, não perdeu a sua força ao ser inserida no “Mundo Rural”, tendo uma secção dedicada à agricultura e ao seu desenvolvimento, mantendo-se até hoje, cinquenta anos depois. O “Mundo Rural” iniciou com uma tiragem de 30 mil exemplares.

Refere-se o «Mundo Rural» pela sua história, mas também pelas palavras de uma militante da Diocese de Angra do Heroísmo que, um dia, ao falar do oceano que nos separa, disse que «O Mundo Rural é o que nos une». Ou seja, o «Mundo Rural» ultrapassa todas as barreiras e congrega toda a ACR, como carta aberta nesta grande família.

Fonte:

VEIGAS, Joana – A receção do Concílio Vaticano II em Portugal: no caso da Acção Católica Rural (ACR). Lisboa: Universidade Católica Portuguesa, Faculdade de Teologia, 2014, pp. 25 e 47.